O compromisso com nossos clientes é o pilar de nossa reputação.

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Presidente do TJAP inspeciona celas no IAPEN e vistoria salas de videoconferência da Penitenciária

Na manhã desta quinta-feira (11), o presidente do Tribunal de Justiça do Amapá, desembargador Carlos Tork, cumpriu agenda de trabalho no IAPEN. O magistrado inspecionou as celas onde estão os detentos com nível superior e os condenados na Operação Eclésia - o deputado estadual afastado Moisés Sousa, o ex-deputado Edinho Duarte, e o ex-secretário de finanças da ALAP, Edmundo Tork. A prerrogativa de acompanhamento destes detentos é da presidência do TJAP. Na oportunidade, o desembargador-presidente também visitou as salas de audiências de videoconferência instaladas na penitenciária estadual. Durante a visita houve um diálogo entre os reeducandos, a administração do IAPEN e a presidência do TJAP, quando se articulou a viabilização de um projeto para remissão de pena por meio da prática da leitura. “Foi um diálogo muito positivo entre os reeducandos que trabalham na biblioteca, no sentido de viabilizar o mais rápido possível o projeto de remissão de pena por leitura de livros devidamente catalogados”, explicou o presidente. Em reunião com o diretor do IAPEN, Lucivaldo Costa, e com técnicos da unidade, o presidente pediu informações sobre as condições atuais dos blocos e pavilhões do complexo prisional do Estado. Uma das demandas apresentadas é relacionada a ausência do médico na penitenciária, situação que o TJAP oficiou à Secretaria Estadual de Saúde (SESA). O desembargador-presidente visitou os quatro boxes instalados dentro do instituto prisional para a realização de audiências de videoconferência. O ambiente passou por adequações de isolamento e acústica por parte das equipes técnicas do Tribunal de Justiça e recebeu os equipamentos digitais para a realização da atividade. Nestas salas, os presos do IAPEN e os que se encontram em comarcas distantes da capital serão ouvidos pelo juiz sem a necessidade de fazer o deslocamento até o Fórum de Macapá. O deslocamento de presos, além de gerar custos aos cofres públicos, demanda um aparato especial de segurança para evitar fugas durante o trajeto.
11/01/2018 (00:00)

Contate-nos

Av. Euclides da Cunha  587  D
-  Santa Rita
 -  Macapá / AP
-  CEP: 68901-527
+55 (96) 981085010+55 (96) 991499681
Visitas no site:  32973
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.